Em razão da maior exposição ao sol durante o verão, as alergias de pele, também conhecidas como alergias de verão, se tornam ainda mais comuns. Visto que as pessoas estão mais propensas a passar um tempo na praia, o contato com a areia, as picadas de mosquitos e os efeitos dos raios ultravioletas podem ampliar as doenças de pele durante a estação mais quente do ano.

Com o início do verão, as temperaturas tendem a subir alguns graus em todo o país. Com isso, as lesões na pele provocadas por reações alérgicas, como dermatites atópicas, de contato e urticária, acometem milhares de brasileiros todos os anos. Por isso, é fundamental entender como evitar as alergias de verão para garantir maior qualidade de vida aos pacientes mais propensos.

Ficou interessado neste assunto? Então continue a leitura!

Afinal, o que são as alergias?

A alergia é uma resposta autoimune do organismo em relação a uma determinada substância. De modo geral, o contato com alguns tipos de alimentos, medicamentos e até mesmo picadas de insetos podem desencadear o processo alérgico em muitas pessoas.

Em alguns casos, fatores genéticos são responsáveis pelo crescimento exponencial de alergias durante o verão, muito embora outra parte considerável não tenha nenhuma explicação clínica. Além disso, vale lembrar que em qualquer momento da vida o organismo humano pode reconhecer determinadas substâncias como agentes nocivos, passando a desenvolver anticorpos — que culminam em respostas alérgicas.

Essas reações exageradas podem se manifestar em qualquer área do corpo, sendo mais comuns nos membros superiores e face, por exemplo. Ademais, algumas delas podem se instalar nas vias respiratórias, provocando quadros de Rinoconjuntivite Alérgica, sinusites e asmas.

A boa notícia é que as doenças de pele, bem como os acometimentos das vias respiratórias, não têm desdobramentos mais severos, como reações anafiláticas.

Alergias de verão: confira as mais comuns

Confira, a seguir, algumas das principais doenças de pele, seus sintomas e formas de tratamento disponíveis:

  • Dermatite Atópica

A dermatite atópica, ou eczema atópico, é um dos tipos mais comuns de reações alérgicas cutâneas. Trata-se de uma doença de caráter genético e crônico que leva ao ressecamento da pele e ao surgimento de erupções na superfície da pele com coceira e crostas.

Boa parte dos pacientes desenvolvem esses sintomas na região das dobras do braço e perna e podem desencadear ainda alguns sintomas mais importantes, como crises de asma e rinite.

Alguns fatores de risco incluem a alergia a:

  • ambientes com mofo, ácaros, pólen ou animais;
  • exposição a agentes ambientais irritantes ou ásperos;
  • contato com fragrâncias e corantes presentes em cosméticos;
  • produtos de limpeza em geral;
  • baixa umidade do ar;
  • excesso de calor e transpiração;
  • estresse emocional, entre outros.

Sintomas e tratamento

Como já destacamos, a dermatite atópica pode provocar o ressecamento da pele. Entretanto, a doença também inclui prurido que pode evoluir para ferimentos causados pela coceira prolongada, vermelhidão, inflamação da pele etc.

O tratamento consiste no controle da coceira, redução do processo inflamatório e também na prevenção desse tipo de intercorrência. Por conta da pele seca, o uso de hidratantes corporais é uma alternativa bastante útil, já que contribui para alívio do eczema.

Outro aspecto que deve ser levado em consideração é manter-se distante das substâncias alergênicas citadas acima. Ademais, banhos quentes precisam ser evitados para proteção da pele. Por fim, o uso de anti-histamínicos é uma terapia medicamentosa mais efetiva para alívio dos sintomas da coceira. 

  • Dermatite de contato

Entre as alergias de verão, a dermatite de contato, também chamada de eczema de contato, é um tipo de reação inflamatória da pele provocada pela exposição a agentes alergênicos que causam irritação e alergia.

Os pacientes podem desenvolver dois tipos de dermatite de contato: irritativa e alérgica. No primeiro caso, trata-se de uma reação provocada pelo contato com substâncias ácidas ou alcalinas, comumente presentes em materiais de limpeza pesada e demais substâncias químicas. Por outro lado, a dermatite de contato alérgica caracteriza-se pela exposição prolongada a determinado produto ou substância.

Sintomas e tratamento

Os principais sintomas da dermatite de contato podem variar de acordo com cada paciente, entretanto, é bastante comum a sensação de ardência e queimação da pele, bem como coceira intensa. 

Na maior parte dos casos, a doença pode surgir de modo repentino ou até mesmo muito tempo após o contato com substância potencialmente tóxica ao organismo. Sendo assim, o diagnóstico da doença torna-se mais difícil, já que o agente causador da irritação pode não ser conhecido.

Na dermatite irritante, por sua vez, os sintomas são mais brandos, já que apresentam pouco prurido e uma sensação de dor e queimação mais discreta. A pele ganha um aspecto mais seco, áspero e avermelhado.

O tratamento deve ser estabelecido por um profissional da saúde e dependerá do grau de extensão dos eczemas, bem como da gravidade do paciente. No geral, a abordagem terapêutica mais utilizada consiste na utilização de medicamentos orais ou injetáveis.

  • Urticária

A urticária é um tipo de irritação que tem como principal característica as lesões cutâneas. A pele pode apresentar irritações, inchaços e vergões com coceira intensa. Em boa parte dos casos, essas lesões são comuns em qualquer parte do corpo e têm formatos distintos, sempre acompanhadas de prurido, independentemente do tamanho.

As urticárias surgem de repente em qualquer período do dia ou da noite, podendo durar algumas horas e desaparecer completamente sem deixar qualquer vestígio. Apesar de ser um problema comum em pessoas adultas com idade entre 20 e 40 anos, essa é uma das alergias de verão que acomete pacientes de todas as idades.

Sintomas e tratamento

Assim como as dermatites, a urticária provoca coceira intensa e lesões na pele seguidas de queimação, ardência e dor. Por se tratar de um problema bastante ostensivo, a rotina dos pacientes acometidos pode ser comprometida, tendo as atividades diárias prejudicadas.

Os sintomas podem durar algumas horas, dias, semanas ou até meses. No entanto, seu tratamento é bastante eficaz. Grande parte dos casos apresentam boas respostas, a partir do uso de antialérgicos e da adoção de uma dieta alimentar mais equilibrada.

Como você pode perceber, as alergias de verão causam importantes sintomas nos pacientes e podem ser extremamente incômodas. Assim, para evitar esse tipo de problema, recomendamos o uso de protetores solares, roupas e acessórios com sistema de proteção contra raios UV. Ademais, a hidratação é um excelente aliado durante o verão.

Compartilhe esse post em suas redes sociais e ajude seus amigos e familiares a aproveitarem os dias de sol com maior segurança neste verão. Fique de olho também em nosso perfil no Instagram e não perca nenhum conteúdo.

Olá! Tudo bem? 👋
1
Olá! Tudo bem? 👋

Caso tenha alguma dúvida, deseje agendar uma consulta ou queira falar com nossa equipe, estamos à disposição. 😄

Abraço!