A cistite é uma inflamação da bexiga causada, normalmente, pela bactéria Escherichia coli, presente naturalmente no intestino e importante para a digestão, mas também pode ser provocada por outros micro-organismos.

Para entender melhor esse tema e saber quais as causas, tratamentos e formas de prevenção da cistite, continue lendo.

Cistite: informações básicas e fatores de risco

Homens, mulheres e crianças podem ter cistite, porém ela é mais comum nas mulheres. Isso acontece devido às características anatômicas femininas, pois a uretra da mulher, além de muito mais curta que a do homem, está mais próxima do ânus. 

Nos homens, a partir dos 50 anos, ocorre o crescimento da próstata, o que provoca retenção de urina na bexiga e pode causar a cistite. Pacientes com diabetes não regulado também têm risco aumentado, pois a doença compromete a imunidade do indivíduo.

Sintomas da cistite

  • Necessidade urgente de urinar com frequência;
  • Pouca quantidade de urina eliminada em cada micção;
  • Ardor ao urinar;
  • Dores na bexiga, nas costas e no baixo ventre;
  • Febre;
  • Sangue na urina em casos mais graves.

Diagnóstico e tratamento da doença

Os sintomas da cistite são muito parecidos com o da infecção urinária. Por isso, é fundamental que o diagnóstico seja realizado pelo médico através de avaliação clínica e realização de exames complementares. Os mais comuns são o exame de urina tipo 1 e a cultura de urina, que identifica o agente infeccioso e permite dar o diagnóstico definitivo.

O tratamento da cistite é feito com antibióticos ou quimioterápicos escolhidos de acordo com o tipo de bactéria encontrada no exame laboratorial de urina. A chance de cura é bem grande, no entanto é preciso seguir à risca as orientações do médico e tomar os medicamentos pelo tempo recomendado mesmo que os sintomas tenham desaparecido já nas primeiras doses.

Dicas para prevenir a cistite

  • Beba muita água;
  • Evite segurar a urina na bexiga por longos períodos;
  • Urine após as relações sexuais para eliminar as bactérias do trato urinário;
  • Mantenha as regiões íntimas sempre limpas e, após evacuar, passe o papel higiênico de frente para trás e, sempre que possível, lave-se com água e sabão;
  • Evite usar roupas íntimas muito justas ou que retenham calor e umidade;
  • Suspenda o consumo de cigarro, álcool, temperos fortes e cafeína;
  • Troque os absorventes higiênicos com frequência para evitar a proliferação de bactérias.

Ainda tem alguma dúvida sobre o tema? Agende uma consulta agora

Para mais informações e dicas de saúde e qualidade de vida, continue acompanhando nosso blog e o Instagram.

Olá! Tudo bem? 👋
1
Olá! Tudo bem? 👋

Caso tenha alguma dúvida, deseje agendar uma consulta ou queira falar com nossa equipe, estamos à disposição. 😄

Abraço!