Conheça a dieta para pacientes com doença renal crônica

IRC: qual a dieta para pacientes com doença renal crônica?

  • dieta para pacientes com doença renal crônica

A doença renal crônica é uma condição decorrente de diversos fatores, especialmente aqueles relacionados à hereditariedade e hábitos alimentares. Pacientes acometidos por esse tipo de moléstia podem sofrer com a perda gradual da função dos rins, sendo necessária e realização de diálises em muitos casos. Entretanto, a identificação precoce do problema pode facilitar o tratamento com propostas mais conservadoras.

Nesse contexto, o acompanhamento com um médico nefrologista e nutricionista se torna extremamente importante. Quer entender mais sobre a dieta para pacientes com doença renal crônica? Então, está no lugar certo. Vamos mostrar os principais alimentos recomendados e aqueles que devem ser definitivamente excluídos do seu cardápio. Continue a leitura e saiba mais.

Qual a importância da nutrição?

Alimentos ricos em fósforo e potássio são extremamente prejudiciais, uma vez que podem aumentar os sintomas urêmicos como perda do apetite, fraqueza e náuseas. Em casos mais severos, por exemplo, a falta de uma dieta equilibrada e adequada pode acelerar a progressão da doença e levar a necessidade de abordagens mais invasivas como a diálise.

Diante disso, cabe a um profissional da nutrologia determinar a melhor dieta para cada paciente e acompanhar a evolução do tratamento. No geral, alimentos ricos em proteínas de origem animal como leite e seus derivados e carnes (vermelha e branca) devem ser reduzidos consideravelmente.

Além destes, o consumo de proteínas presentes em alimentos como cereais, massas e grãos devem ser controladas. Assim, para suprir a necessidade diária das proteínas constantes nesses alimentos, é responsabilidade do nutricionista receitar vitaminas e comprimidos de modo a promover a qualidade de vida dos pacientes por meio da alimentação.

Qual a melhor dieta para pacientes com doença renal crônica?

Pacientes acometidos pela doença renal crônica passam a ter indisponibilidade para eliminar de forma adequada o resto dos alimentos que são digeridos pelo organismo debilitado. Diante dessa dificuldade, é indispensável seguir orientações específicas sobre a alimentação. Outro fator agravante passa diretamente pelas consequências do tratamento via diálise, uma vez que este pode levar a perda excessiva de proteínas.

Nesse sentido, além dos sintomas causados pela insuficiência renal — fadiga, mal-estar, perda de apetite, excesso de urina, entre outros — um quadro de desnutrição involuntária poderá ser desenvolvido.

Alimentos proibidos

Para melhorar a ingestão de alimentos fundamentais ao bom funcionamento do corpo humano, deve-se evitar os seguintes alimentos:

  • alimentos derivados de laticínios;
  • comidas processadas e embutidas como salsichas, linguiças, presuntos, mortadelas, etc;
  • chocolates;
  • bebidas gaseificadas (Coca-Cola, Pepsi e Cervejas);
  • frutos do mar;
  • miúdos como fígado, coração, dobradinha, chouriço, etc;
  • frutas, vegetais e sementes oleaginosas como castanhas, nozes e amendoim;
  • peixes de água salgada como atum, bacalhau e sardinha.
  • qualquer alimento industrializado que utiliza conservantes e acidulantes.

Alimentos permitidos

Uma alimentação saudável e correta deve ser, em primeiro lugar, repleta de variedades e equilibrada. A dieta para pacientes com doença renal crônica deve ser aquela recomendada pelo nutricionista responsável. Contudo, vale destacar que saber se alimentar corretamente permite a todos uma refeição capaz de auxiliar no tratamento e prevenção de diversas doenças.

Verduras e legumes

De modo geral, as principais refeições devem ser baseadas a partir do consumo de verduras e legumes cozidos em água fervente e desprezando o caldo resultante da fervura. Ou seja, verduras como alface, agrião, almeirão, cenoura, pepino, pimentão e repolho. Os legumes podem ser abóbora, acelga, batata, berinjela, beterraba, brócolis, chuchu, espinafre, mandioca, quiabo, vagem entre outros.

Frutas

Por fim, o consumo de frutas com baixo teor de potássio também é uma excelente alternativa. Sendo assim, o consumo de abacaxi, acerola, ameixa, banana-maçã, caju, caqui jabuticaba, limão, manga, maçã e laranja-lima está permitido. Por outro lado, é fundamental retirar da sua alimentação o consumo de abacates, açaí, água de coco, banana-prata, damasco, figo, goiaba, graviola e demais frutas com alto índice de potássio.

Concluindo, adotar uma dieta para pacientes com doença renal crônica é importante para a manutenção da saúde e auxílio do tratamento do mesmo. Vale destacar, porém, que há uma enorme possibilidade de combinações de alimentos saudáveis e que não afetam o funcionamento adequado do sistema renal. Aproveite para se basear nas referências que trouxemos neste artigo e faça refeições regulares.

Modificar o hábito alimentar pode causar um impacto extremamente desagradável para qualquer paciente, não é mesmo? Por isso, lembre-se sempre de se adaptar gradualmente e estabelecer horários adequados. Caso seja de seu interesse, agende uma avaliação médica agora mesmo e descubra como anda a sua alimentação e saúde geral do seu corpo.