Desconfortos gastrointestinais, diarreia, dores na região do abdômen e até mesmo distúrbios alimentares são sintomas muito comuns. No entanto, apesar de grande parte dos casos isolados não indicarem doenças do intestino, é preciso estar atento ao seu desenvolvimento, pois podem representar perigo à saúde.

Isso porque a maioria dos sintomas são também observados nas principais doenças intestinais. Sendo assim, é de fundamental importância saber como identificar corretamente a hora de procurar auxílio médico. Pensando nisso, no post de hoje vamos apresentar 4 dos acometimentos mais comuns do trato gastrointestinal. Acompanhe!

Principais doenças do intestino

  • Doença de Crohn

A Doença de Crohn é um problema de ordem crônica que se manifesta a partir de um quadro inflamatório no tubo digestivo, podendo se estender desde a boca até o ânus. De modo geral, os tecidos mais acometidos estão localizados entre a parte final do intestino delgado e grosso, ou seja, no íleo e cólons.

Fatores como herança genética podem estar ligados à maior incidência da doença. Entretanto, outros aspectos, como hábitos alimentares, estilo de vida e o contato com substâncias estranhas ao organismo — que podem produzir antígenos de forma involuntária —, representam uma parcela importante de manifestação da doença.

Não é uma enfermidade contagiosa e pode acometer pessoas desde os primeiros anos de vida, bem como durante a idade adulta, não sendo o sexo do paciente um fator preponderante.

Sintomas

A Doença de Crohn pode se revelar em qualquer época da vida, sendo muito característica as manifestações agudas e recorrentes. Entretanto, alguns pacientes também apresentam longos períodos de ausência dos sintomas.

Inflamações da mucosa oral, diarréia, dores abdominais e perda de peso são os sinais mais comuns entre pacientes com Doença de Crohn. Além disso, podem ser habituais os quadros de febre, perda de tecido gorduroso e músculo, estenose do intestino delgado, distensão abdominal, fístulas e fissuras perianais.

Tratamento

A Doença de Crohn é um problema crônico e, portanto, não tem cura. Dessa forma, os recursos terapêuticos aplicados têm como objetivo controlar a inflamação e os respectivos sintomas, garantindo assim a remissão da doença ou pelo menos uma melhor qualidade de vida aos pacientes.

Nesse sentido, a abordagem mais indicada poderá ser definida pelo tipo de manifestação da doença, bem como sua gravidade. Durante o período inicial, poderão ser utilizados medicamentos esteróides, corticóides ou corticosteróide para fazer regredir a inflamação dos tecidos do intestino.

  • Retocolite ulcerativa (RCU)

A Retocolite ulcerativa (RCU) é uma inflamação da mucosa do intestino grosso (cólon e reto) sem causa definida. Fatores relacionados ao sistema imunológico e componentes hereditários, porém, podem estar associados ao surgimento da doença que, por sua vez, acomete principalmente os jovens.

Sintomas

A Colite ulcerativa é caracterizada por quadros de diarreia com frequente presença de sangue vivo nas fezes. Nos casos em que está associada apenas ao reto, pode ser chamada de proctite e apresenta algumas diferenças importantes, como prisão de ventre seguido de sangramento e anemia. Por isso, é normalmente entendida como uma hemorroida.

Tratamento

Em se tratando de uma doença crônica, não existem tratamentos específicos que levem à remissão e cura para esse tipo de problema. Entretanto, o indivíduo pode ter uma vida mais tranquila com o uso de medicamentos que garantem o controle da inflamação intestinal, como os imunossupressores e imunomoduladores.

Síndrome do Intestino Irritável (SII)

A Síndrome do Intestino Irritável é uma das principais doenças do intestino. Trata-se de um distúrbio dos movimentos peristálticos que são responsáveis por expelir o bolo fecal do intestino, o que pode provocar também grande desconforto intestinal, com dores intensas e diarreia.

Sua causa ainda não foi completamente esclarecida pela ciência. Entretanto, supõe-se que seu surgimento se dá em razão de uma hipersensibilidade visceral provocada pelo consumo de alguns alimentos.

Sintomas

Os principais sintomas da Síndrome do Intestino Irritável incluem:

  • dor ou desconforto abdominal;
  • cólicas moderadas e agudas;
  • sensação de esvaziamento incompleto do intestino;
  • excesso de flatulência;
  • períodos de diarreia e prisão de ventre.

Tratamento

Para muitas pessoas, o consumo de alguns alimentos ou bebidas pode levar ao agravamento do quadro de Síndrome do Intestino Irritável. Sendo assim, o tratamento consiste em buscar alívio para estes sinais e sintomas, melhorando a qualidade de vida das pessoas acometidas pela doença. 

Nesse sentido, o tratamento consiste em alterar alguns hábitos alimentares, bem como introduzir medicamentos para aliviar alguns dos sintomas que mais causam incômodo.

  • Constipação

Popularmente chamada de intestino preso ou prisão de ventre, a constipação intestinal é um problema mais comum do que imagina a maioria das pessoas. Caracterizado pela intensa dificuldade em evacuar, a obstipação intestinal acomete homens e mulheres de todas as idades, embora seja mais frequente em pessoas do sexo feminino.

Em razão do endurecimento das fezes e da consequente dificuldade para esvaziar o intestino, a constipação pode provocar um desconforto considerável, comprometendo a qualidade de vida do paciente. Apesar de não ser um sintoma de uma doença específica, ela deve ser investigada corretamente, já que pode indicar a manifestação de acometimentos que demandam um acompanhamento mais próximo.

Sintomas

A constipação pode provocar o aparecimento de diversos sintomas, de modo regular ou não. Os sinais mais comuns são:

  • fezes endurecidas;
  • irregularidades de evacuação;
  • sensação de esvaziamento incompleto do reto;
  • esforço demasiado para esvaziar o intestino;
  • flatulência;
  • câimbras;
  • desconforto abdominal, entre outros.

Tratamento

Para diagnosticar com melhor precisão o quadro conhecido como constipação, o médico pode realizar exames clínicos, sendo o exame proctológico parte fundamental para determinar esse tipo de alteração gastrointestinal.

Em via de regra, essa é uma condição que não demanda uma investigação mais específica. Sendo assim, o tratamento pode iniciar-se a partir do consumo de alimentos ricos em fibra, baseada em uma dieta nutricional mais adequada. O aumento da ingestão de água também pode ajudar no processo, sendo habitualmente recomendado cerca de 3 a 4 litros por dia.

Além desses cuidados, recomenda-se que os indivíduos constipados ou com predisposição substituam maus hábitos, como o sedentarismo e o consumo de alimentos ultraprocessados, para complementar a abordagem terapêutica necessária.

Concluindo, a apresentação de quaisquer sintomas relacionados às doenças do intestino pode representar um risco importante para a saúde intestinal. Sendo assim, é de extrema importância procurar auxílio médico para investigar mais profundamente as causas do problema e determinar o melhor tratamento.

Visite o seu médico com regularidade, afinal, ter esse tipo de cuidado pode impedir o agravamento de doenças importantes. Se gostou deste artigo e deseja obter mais informações sobre os acometimentos do intestino, não deixe de ler o nosso artigo sobre Doença Celíaca. E fique de olho em nosso Instagram para acompanhar mais conteúdos fundamentais para o cuidado com a sua saúde.

Olá! Tudo bem? 👋
1
Olá! Tudo bem? 👋

Caso tenha alguma dúvida, deseje agendar uma consulta ou queira falar com nossa equipe, estamos à disposição. 😄

Abraço!